Grande, só o Brasil: As regiões platina e amazônica no centro do pensamento geoestratégico do Estado

Adriano Moura Oliveira

Resumo


Este artigo tem como objetivo, por meio da análise do conjunto de ideias apresentadas por militares e autores ligados às Forças Armadas em diferentes momentos, a saber, Everardo Backheuser, Lysias Rodrigues, Mario Travassos e Golbery do Couto e Silva, demonstrar que a configuração de um pensamento geopolítico brasileiro de potência se deu num constructo que equacionava as questões de segurança interno-externa à ideia de um desenvolvimento possível a partir das potencialidades e posição geográfica do Estado. Se, de um lado, procuraremos sustentar, a geopolítica brasileira remetia às influências vindas de fora, de outro, trazia como especificidade a identificação das regiões platina e amazônica como centro de um projeto de potência, o coração do continente, cujo domínio se fazia indispensável.


Palavras-chave


Geopolítica; Forças Armadas; Bacia do Prata; Bacia Amazônica

Texto completo:

PDF

Referências


VESENTINI, José William. A Capital da Geopolítica. São Paulo: Editora Ática, 1987.

SCHWARTZMAM, Simon; HELENA, M. B. Bomeny e VANDA M.R. Costa. Tempos de Capanema. Rio de Janeiro, Paz e Terra; S. Paulo, Edusp, 1984, p.21

TRAVASSOS, Mário. Projeção Continental do Brasil. São Paulo: Companhia Editora nacional, 1947, p. 129-131.

LOPES, 2002.

Idem, CAPANEMA apud SCHWARTZMAN, 1984, p. 422-423.

BACKHEUSER, Everardo. A Estrutura Política do Brasil, 1926; O Espaço, 1933.

RODRIGUES, Lysias. Geopolítica do Brasil. Rio de Janeiro: Biblioteca Militar, 1947, p.57.

CABRAL, ESG, 2000, p. 13.

Idem, TRAVASSOS, 1947, p. 8.

Idem,TRAVASSOS, 1947, p. 71 – 72.

Idem, TRAVASSOS, 1947, p. 97 - 32.

HIRST, Monica; RUSSELL, Roberto. Democracia y política exterior: los casos de Argentina y Brasil. Buenos Aires, FLACSO, Série documentos e informes de investigación, no. 55, 1987.

BASTOS, Pedro Z. A dependência em progresso: fragilidade financeira, vulnerabilidade comercial e crises cambiais no Brasil, 1890-1954. Tese de Doutorado. Campinas: IE-UNICAMP, 2001.

BANDEIRA, Moniz. Presença dos Estados Unidos no Brasil. Dois séculos de história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978; ou em BANDEIRA, Moniz. Estado nacional e política internacional na América Latina. O continente nas relações Argentina - Brasil (1930-1992). São Paulo: Ensaio, 1993.

Idem, TRAVASSOS, 1947, p. 89 – 90.

Idem, TRAVASSOS, 1947, p. 127 – 128.

Idem, TRAVASSOS, 1947, p. 129-131.

Idem, TRAVASSOS, 1947, p. 145 – 146.

Idem, TRAVASSOS, 1947, p. 158 – 159.

Idem, TRAVASSOS, 1947. p. 245 – 248.

CERVO, Amado Luiz, Política exterior e relações internacionais do Brasil: enfoque paradigmático, 2003, p. 8-13.

Idem, RODRIGUES, 1947, p. 63.

Idem, RODRIGUES, 1947, p 64.

Idem, RODRIGUES, 1947, p. 65 – 66.

Idem, RODRIGUES, 1947, p. 66 – 67.

MELLO, L. I. A. Quem tem medo da geopolítica? São Paulo: Edusp/Hucitec, 1987, p. 116.

Idem, RODRIGUES, 1947, p. 116.

Idem, RODRIGUES, 1947, p. 117.

Idem, RODRIGUES, 1947, p. 120 – 121.

Idem, RODRIGUES, 1947, p. 125.

Idem, RODRIGUES, 1947, p. 137 – 138.

COUTO E SILVA, Golbery do. Geopolítica do Brasil. Rio de Janeiro José Olympio, 1967, p. 3 – 4.

Idem, COUTO E SILVA, 1967, p. 4.

COUTO E SILVA, Golbery do (General). Planejamento estratégico. Brasília: Editora UnB, 1981, p.186-187.

Idem, COUTO E SILVA, 1981, p. 52.

Idem, COUTO E SILVA, 1981, p. 73.

COUTO E SILVA, 1999, p. 169 – 170.

Idem, COUTO E SILVA, 1981, p. 43.




DOI: http://dx.doi.org/10.26792/rbed.v5n1.2018.75052

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES