Modelo Brasileiro do Ambiente interagências para Operações na Fronteira

José Carlos de Araujo Neto, Wilson José Barp, Luis Fernando Cardoso e Cardoso

Resumo


Esta pesquisa buscou identificar incongruências no âmbito do Plano Estratégico de Fronteiras, revelando dificuldades para estabelecer cooperação entre os partícipes de uma atividade interagências. Apesar das Operações Ágata e do Sistema Brasileiro de Inteligência, o Tribunal de Contas da União considera a inexistência de uma solução interagências no país.


Palavras-chave


Interagências; Fronteira; Segurança; Cooperação

Texto completo:

PDF

Referências


Aaker, David Allen. 2001. Administração Estratégica de Mercado. Porto Alegre: Bookman.

Alford, Robert R.; Friedland, Roger. 1985. Powers of Theory: Capitalism, the State, and Democracy. Cambridge: Cambridge University Press.

Axelrod, Robert. 2010. A Evolução da Cooperação. São Paulo: Leopardo.

Brasil. 2011. Decreto no 7.496, de 8 de junho de 2011. Institui o Plano Estratégico de Fronteiras. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2016.

_____. Ministério da Defesa. 2012a. Operações Interagências – MD33‑M‑12. Brasília. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.

_____. Ministério da Defesa. 2012b. Doutrina de Operações Conjuntas – MD30‑M‑01. Brasília. Disponível em:

doutrina/md30_m_01_volume_1.pdf>. Acesso em: 10 dez. 2017.

_____. Ministério da Defesa. 2015. Glossário das Forças Armadas – MD35‑G‑01. Brasília. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2017.

_____. 2016. Decreto no 8.903, de 16 de novembro de 2016. Institui o Programa de Proteção Integrada de Fronteiras e organiza a atuação de unidades da administração pública federal para sua execução. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.

Bressan, Sílvio. 2002. Reforma Administrativa. In Lamounier, Bolívar; Figueiredo, Rubens, A Era FHC: um Balanço. São Paulo: Cultura Editores Associados. 369‑394.

Cepik, Marco A. 2001. Serviços de Inteligência: Agilidade e Transparência como Dilemas de Institucionalização. Tese de Doutorado em Ciência Política, Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Drucker, Peter Ferdinand. 2001. Desafios Gerenciais para o Século XXI. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Estados Unidos da América. Departamento de Defesa. 1996. Joint Publication 3‑08 – Interagency, Intergovernmental Organization, and Nongovernmental Organization Coordination during Joint Operations. Washington.

_____. Departamento de Defesa. 2011. Joint Publication 3‑08 – Interorganizational Coordination during Joint Operations. Washington.

_____. Departamento de Defesa. 2016. Joint Publication 3‑08 – Interorganizational Cooperation. Washington.

Foucault, Michel. 2002. Vigiar e Punir: História da Violência nas Prisões. São Paulo: Ática.

Graça, Roberto Julian da Silva. 2015. As Operações Interagências no Combate ao Tráfico Internacional de Drogas: Contribuições da Operação Ágata 8. Monografia do Curso de Especialização em Ciências Militares, Escola de Comando e Estado‑Maior do Exército, Rio de Janeiro.

Marcella, Gabriel. 2008. Understanding the Interagency Process: the Challenge of Adaptation”. In Marcella, Gabriel (Ed.), Affairs of State. The Interagency and National Security. Carlisle: Strategic Studies Institute. 1‑52.

Raza, Salvador. 2012. Cooperação Interagências: Por Que e Como Funciona um Estudo de Modelos Organizacionais nas Relações Internacionais? Brazilian Journal of International Relations, 1, 1, 7‑37.

Souza, Deywisson Ronaldo Oliveira de; Garcia, Stephanie Queiroz. 2014. A Abordagem Interagência dos Sistemas Proteger e de Monitoramento das Fronteiras Terrestres (SISFRON). Hegemonia, 14, 88‑106.

Tribunal de Contas da União. 2015. Relatório de Auditoria Operacional TC 014.387/2014‑0. Brasília. Disponível em: . Acesso em:

jan. 2017.

Tribunal de Contas da União. 2016. Relatório de Auditoria Operacional TC

053/2015‑0. Brasília. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.26792/rbed.v4n2.2017.74656

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES