Política e Estratégia nacionais de Defesa: integração e consensos políticos

Adriano Portella de Amorim

Resumo


O presente artigo apresenta reflexões a respeito das propostas de textos da Política Nacional de Defesa e da Estratégia Nacional de Defesa que se encontram sob a apreciação do Congresso Nacional brasileiro. A contribuição acadêmica se dirige aos enunciados de integração sul‑americana, de cooperação e participação internacional do Brasil, bem como às peculiaridades da democracia e do constitucionalismo brasileiros como elementos de limitação e de legitimação do poder político, dos meios diplomáticos e do setor de defesa nacional. A metodologia de abordagem foi construída com base na legislação e nas propostas apresentadas pelo Poder Executivo, mencionando‑se possíveis contribuições teóricas.


Palavras-chave


Defesa Nacional; Política; Estratégia; Constitucionalismo

Texto completo:

PDF

Referências


Aguiar, Roberto A. R. de. 2000. Os Filhos da Flecha do Tempo – Pertinência e Rupturas. Brasília: Letraviva.

Bobbio, Norberto. 2003. O Problema da Guerra e as Vias da Paz. São Paulo: Editora UNESP.

Bobbio, Norberto. 2006. O Futuro da Democracia. São Paulo: Paz e Terra.

Borges, José Souto Maior. 2005. Curso de Direito Comunitário. São Paulo: Saraiva.

Brasil. 1948. Decreto nº 25. 660, de 13 de outubro de 1948. Manda executar o Tratado Interamericano de Assistência Recíproca, firmado no Rio de Janeiro, a 2 de setembro de 1947, por ocasião da Conferência Interamericana para a Manutenção da Paz e da Segurança no Continente. Disponível em: . Acesso em: 6 fev. 2018.

Brasil. 1980. Decreto nº 85. 050, de 18 de agosto de 1980. Promulga o Tratado de Cooperação Amazônica, concluído entre os governos da República da Bolívia, da República Federativa do Brasil, da República da Colômbia, da República do Equador, da República Cooperativa da Guiana, da República do Peru, da República do Suriname e da República da Venezuela. Disponível em:

nario=15706610&mime=application/rtf>. Acesso em: 7 fev. 2018.

Brasil. 1988. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

Brasil. 1991. Decreto nº 350, de 21 de novembro de 1991. Promulga o Tratado para a Constituição de um Mercado Comum entre a República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai e a República Oriental do Uruguai (TRATADO MERCOSUL). Disponível em: . Acesso em: 6 fev. 2018.

Brasil. 1996. Decreto nº 1. 901, de 9 de maio de 1996. Promulga o Protocolo Adicional ao Tratado de Assunção sobre a Estrutura Institucional do MERCOSUL (Protocolo de Ouro Preto), de 17 de dezembro de 1994. Disponível em: . Acesso em: 6 fev. 2018.

Brasil. 1996. Documento sobre Política de Defesa Nacional. Revista Parcerias Estratégicas, 1, 2, 7-15 e 16-18, dez.

Brasil. 1999. Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999. Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

Brasil. 2002. Decreto nº 4. 210, de 24 de abril de 2002. Promulga o Protocolo de Ushuaia sobre Compromisso Democrático no Mercosul, Bolívia e Chile. Disponível em: . Acesso em: 6 fev. 2018.

Brasil. 2002. Decreto nº 4. 387, de 25 de setembro de 2002. Promulga o Protocolo de Emenda ao Tratado de Cooperação Amazônica. Disponível em: . Acesso em: 7 fev. 2018.

Brasil. 2005. Decreto nº 5. 484, de 30 de junho de 2005. Aprova a Política de Defesa Nacional, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

Brasil. 2006. Decreto Legislativo nº 44, de 12 de abril de 2006. Aprova o texto do Acordo de Sede entre o Governo da República Federativa do Brasil e a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica - OTCA, celebrado em Brasília, em 13 de dezembro de 2002. Disponível em: . Acesso em: 7 fev. 2018.

Brasil. 2006. Decreto nº 5. 819, de 26 de junho de 2006. Promulga o Acordo de Sede entre o Governo da República Federativa do Brasil e a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica, celebrado em Brasília, em 13 de dezembro de 2002. Disponível em: . Acesso em: 7 fev. 2018.

Brasil. 2007. Decreto nº 6. 084, de 19 de abril de 2007. Promulga o Acordo Quadro de Cooperação em Matéria de Defesa entre a República Federativa do Brasil e a Argentina, celebrado em Puerto Iguazú, em 30 de novembro de 2005. Disponível em: . Acesso em: 6 fev. 2018.

Brasil. 2007. Decreto nº 6. 105, de 30 de abril de 2007. Promulga o Protocolo Constitutivo do Parlamento do Mercosul, aprovado pela Decisão nº 23/05, do Conselho do Mercado Comum, assinado pelos Governos da República Federativa do Brasil, da República Argentina, da República do Paraguai e da República Oriental do Uruguai, em Montevidéu. Disponível em: . Acesso em: 6 fev. 2018.

Brasil. 2008. Decreto nº 6. 703, de 18 de dezembro de 2008. Aprova a Estratégia Nacional de Defesa, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

Brasil. 2010. Lei Complementar nº 136, de 25 de agosto de 2010. Altera a Lei Complementar n. 97, de 9 de junho de 1999, que “dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas”, para criar o Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas e disciplinar as atribuições do Ministro de Estado da Defesa. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

Brasil. Ministério da Defesa. 2012. Livro Branco de Defesa Nacional. Disponível em: . Acesso em: 4 dez. 2012.

Brasil. Congresso Nacional. 2012. Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência. Parecer n. 51, de 2012-CN. Sobre os textos da proposta de Política de Defesa Nacional (sic), da Estratégia Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa Nacional. Diário Oficial da União, Seção 1, p. 1-2, de 26 de setembro de 2013.

Brasil. Congresso Nacional. 2013. Decreto Legislativo n. 373, de 2013. Aprova a Política Nacional de Defesa, a Estratégia Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa Nacional, encaminhados ao Congresso Nacional pela Mensagem n. 83, de 2012 (Mensagem n. 323, de 17 de julho de 2012, na origem). Diário Oficial da União, Seção 1, p. 1-2, de 26 de setembro de 2013.

Brasil. 2013. Decreto nº 8. 128, de 22 de outubro de 2013. Promulga o Acordo Quadro sobre Cooperação em Matéria de Defesa entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República do Peru, firmado em Brasília, em 9 de novembro de 2006. Disponível em: . Acesso em: 7 fev. 2018.

Brasil. Presidência da República. Gabinete de Segurança Institucional. Ministério da Defesa. 2017. Proposta de texto para a Política Nacional de Defesa. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

Brasil. Presidência da República. Gabinete de Segurança Institucional. Ministério da Defesa. 2017. Proposta de texto para a Estratégia Nacional de Defesa. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

Brasil. Congresso Nacional. Comissão Mista de Controle das Atividades de

Inteligência. 2017. Parecer (CN) n. 1, de 19 de outubro de 2017. Sobre os textos da proposta de Política de Defesa Nacional (sic), da Estratégia Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa Nacional. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

Carvalho, José Murilo de. 2005. Forças Armadas e Política no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.

Carvalho, José Murilo de. 2006. A Construção da Ordem: a Elite Política Imperial. Teatro de Sombras: a Política Imperial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Clastres, Pierre. 2010. Arqueologia da Violência. São Paulo: Cosac Naify.

Coni, Luis Claudio. 2006. A Internacionalização do Poder Constituinte. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor.

D’Araujo, Maria Celina; Castro, Celso. 2000. Democracia e Forças Armadas no Cone Sul. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Dahl, Robert. 2009. Sobre a Democracia. Brasília: Editora Universidade de Brasília.

Diáz Revorio, Francisco Javier. 1997. La Constitución como Orden Abierto. Madrid: MacGraw-Hill.

Ferrajoli, Luigi. 2002. A Soberania no Mundo Moderno: Nascimento e Crise do Estado Nacional. São Paulo: Martins Fontes.

Ferreira, Oliveiros S. 2003. Ideias para a Concepção Estratégica: a Defesa Nacional e o Projeto Nacional. Seminário de Política de Defesa para o Século XXI, 2002, Brasília. Brasília: Senado Federal - Secretaria Especial de Editoração e Publicações.

Furtado, Celso. 1991. Formação Econômica do Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional. Holanda, Sergio Buarque de. 1936. Raízes do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympo.

Kant, Immanuel. 2004. A Paz Perpétua e Outros Opúsculos. Lisboa: Edições 70.

Lefort, Claude. 1991. Pensando o Político: Ensaios sobre Democracia, Revolução e Liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Lewandowski, Enrique Ricardo. 2004. Globalização, Regionalização e Soberania. São Paulo: Juarez de Oliveira.

Loewenstein, Karl. 1986. Teoría de la Constitución. Barcelona: Ariel.

Losano, Mario. 2007. Os grandes sistemas jurídicos. São Paulo: Martins Fontes.

Maliska, Marcos Augusto. 2006. Estado e Século XXI: a Integração Supranacional sob a Ótica do Direito Constitucional. Rio de Janeiro: Renovar.

Müller, Friedrich. 2004. Fragmento (sobre) o Poder Constituinte do Povo. São Paulo: Revista dos Tribunais.

Oliveira, Eliézer Rizzo de. 2007. Democracia e Defesa Nacional: uma Agenda a Partir do Poder Legislativo. In Oliveira, Eliézer Rizzo de (Org. ). Segurança e Defesa Nacional: de Competição à Cooperação Regional. São Paulo: Fundação Memorial da América Latina.

Rawls, John. 2002. Uma Teoria da Justiça. São Paulo: Companhia das Letras.

Ribeiro, Darcy. 2006. O Povo Brasileiro: a Formação e o Sentido do Brasil. Companhia das Letras.

Rocha, Maria Elizabeth Guimarães Teixeira; Domingues, Leyza Ferreira; Ribeiro, Elisa de Sousa. 2008. A Adesão da Venezuela ao Mercosul: o Manifesto da Integração Expansionista. Revista de Informação do Legislativa, Brasília, 45, 177, 7-18, jan. /mar.

Santos, Boaventura de Souza. 1989. Introdução a uma Ciência Pós-Moderna. Rio de Janeiro: Graal.

Schmitt, Carl. 1968. Legalidad y Legitimidade. Madrid: Aguillar.

Schmitt, Carl. 2001. El concepto de lo “político”. In Schmitt, Carl, Teólogo

de la Política. México: Fondo de Cultura Económica.

Silva, Paulo Napoleão Nogueira. 2000. Direito Constitucional do Mercosul. Rio de Janeiro: Forense.

União das Nações Sul-Americanas. Conselho de Defesa Sul-Americano. 2013. Plano de Ação do Conselho de Defesa Sul-Americano 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

Vergopoulos, Kostas. 2005. Globalização, o Fim de um Ciclo: Ensaio sobre a Instabilidade Internacional. Rio de Janeiro: Contraponto. Weber, Max. 1996. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. São Paulo: Pioneira.

Villoro, Luis. 1985. O Conceito de Ideologia, e Outros Ensaios. Fundo de Cultura Econômica: México.

Virilio, Paul; Lotringer, Sylvere. 1984. Guerra Pura: a Militarização do Cotidiano. São Paulo: Brasiliense




DOI: http://dx.doi.org/10.26792/rbed.v4n2.2017.75013

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES