Uma análise neo-institucional da adoção de jointness pelos Estados Unidos

Maria Eduarda Laryssa Silva Freire, Mariana Pimenta Oliveira Baccarini

Resumo


A adaptação das Forças Armadas dos Estados nos diversos contextos apresentados pelo cenário internacional vem adquirindo maior relevância. Em consonância, o princípio de jointness ressurgiu como elementar dentro dos assuntos de Defesa, visto que trabalhar as forças em torno de conceitos como a interoperabilidade e a sinergia é parte do processo de adaptação. Entretanto, poucos trabalhos na área se focam no estudo das instituições de Defesa e, em especial, em seus processos de mudança institucional. Desta forma, tendo por tema a ótica de jointness e a mudança institucional, foi abordado o seguinte problema: “como as teorias neo-institucionalistas, à luz da mudança institucional, explicariam a reforma promovida, em 1986, no Departamento da Defesa dos Estados Unidos?”. No que tange ao procedimento metodológico, optou-se pela realização de um estudo de caso, o que permitiu que se chegasse à conclusão de que, tanto a partir de estímulos quanto de entraves internos, o processo da mudança dentro do Departamento se deu de maneira gradual e incremental.


Texto completo:

PDF

Referências


Armstrong, David. 1995. “Jointness and the Impact of the War.” JFQ, summer, 36-37.

Brousseau, Eric, Garrouste, Pierre e Raynaud Emmanuel. 2011. “Institutional changes: Alternative theories and consequences for institutional design.” Journal of Economic Behavior & Organization, 79, 3-19.

Carter, Ash. 2016. “Remarks on “Goldwater-Nichols at 30: An Agenda for Updating”. Washington, D. C. 5 de abril. Disponível em: . Acesso em: 22 de dezembro de 2019.

Correll, John. 2011. “The Campaign for Goldwater-Nichols.” Air Force Magazine. 29 de setembro. Disponível em: . Acesso em: 23 de dezembro de 2019.

Estados Unidos (EUA). 10 U. S. Code § 151. Joint Chiefs of Staff: composition; functions. 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 de julho de 2019.

Estados Unidos (EUA). Goldwater-Nichols Department of Defense Reorganization Act of 1986. Lei pública 99-433-oct. 1, 1986. Disponível em: . Acesso em 01 de julho de 2019.

Gomide, Alexandre. 2014. “Tipos e Dinâmicas de Mudança Institucional: as agências reguladoras de transportes no Brasil”. Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, vol. 57, nº 3, pp. 855-885.

Hall, Peter e Taylor, Rosemary. 2003. “As três versões do neo-institucionalismo.” Lua Nova, n0 58, 193-223.

Hamre, John. 2016. “Reflections: Looking back at the need for Goldwater-Nichols.” Center for Strategic & International Studies, 27 de janeiro de 2016. Disponível em: . Acesso em: 24 de março de 2020.

LoPresti, Thomas. T. 1991. “The JCS System before and after Goldwater-Nichols Act.” Georgetown University: Waskington D. C., May, 1-58.

Mahoney, James e Thelen, Kathleen. 2009 “A Theory of Gradual Institutional Change”. In: Explaining Institutional Change: Ambiguity, Agency, and Power, editado por James Mahoney e Kathleen Thelen. Cambridge University Press. Cambridge, UK, 1-37.

March, James G. e Olsen, Johan P. 2007. “Elaborating the “New Institutionalism”. In: The Oxford Handbook of Political Institutions, editado por R. A. W. Rhodes, Sarah A. Binder e Bert A. Rockman. Oxford University Press, 3-20.

Marquis, Christopher, Dye, Denton e Kinkead Ross. 2017. “The Advent of Jointness During the Gulf War: A 25-year retrospective.” JFQ 85, 2nd quarter, 76-83.

McInnis, Kathleen J. 2016. “Goldwater-Nichols at 30: Defense Reform and Issues for Congress.” Congressional Research Service. June 2nd, 1-60.

Nascimento, Emerson O. 2009. do. “Os novos institucionalismo na ciência política contemporânea e o problema da integração teórica. Revista Brasileira de Ciência Política”, nº 1. Brasília, janeiro-junho, pp. 95-121.

Nemfakos, Charles, Blickstein, Irv, McCarthy, Aine Seitz e Sollinger, Jerry M. 2010 “The Perfect Storm: The Goldwater-Nichols Act and it effect on Navy acquisition.” California: RAND Corporation, 1-59.

Österberg, Major V. 2004. “Military theory and the concept of Jointness.” 4-44.

Pessoa, Tamiris. 2017. A formação de oficiais e as operações conjuntas: comparações com o caso britânico e os desafios brasileiros de gestão em defesa. Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Pessoa, Tamiris S e Freitas, Marco T. D. 2015. “A adoção do modelo joint: reflexões sobre implicações no modelo brasileiro.” R. Esc Guerra Naval, Rio de Janeiro, v. 21, n. 2, p. 203-220, jul./dez.

Piffer, Marcus. 2014. Operações Conjuntas: desafios à integração no nível operacional. 2014. 129f. Dissertação de mestrado. Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, Rio de Janeiro.

Putnam, Robert. 2005. “Introdução: estudo do desempenho institucional”. In: Comunidade e Democracia: a experiência da Itália moderna. Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro, RJ. 4ª edição, 19-31.

Snider, Dom M. 1996. “The US Military in Transition to Jointness”. Alabama: Air and Space Power Journal, Fall, 16-27.

Sloan, Elinor C. 2008. Military Transformation and Modern Warfare: a reference handbook. Westport: Praeger Security International.

Steinmo, Sven. “Historical Institutionalism”. 2008. In Approaches and Methodologies in the Social Sciences: A Pluralist Perspective, editado por Donatella della Porta e Michael Keating. Cambridge University Press.

Thelen, Kathleen. 1999. “Historical Institutionalism in Comparative Politics.” Annual Review of Political Science, vol. 2, pp. 369-404.

Thelen, Kathleen e Conran, James. 2016. “Institutional Change”. In The Oxford handbook of Historical Institutionalism, editado por Orfeo Fioreto, Tulia G. Falleti e Adam Sheingate. Oxford U. Press.

Trainor, Bernard. E. 1993. “Jointness, service culture, and the Gulf War.” JFQ: Washington. Winter, 71-74.

Vitale, Michael. C. 1995. “Jointness by Design, Not Accident.” JFQ: Washington. Autumn, 24-30.

Weyland, Kurt. 2008. “Toward A New Theory Of Institutional Change.” World Politics, Volume 60, Number 2, pp. 281-314.

Wilkerson, Lawrence B. 1997. “What exactly is Jointness?” JFQ: Washington. Summer, 1-3.




DOI: https://doi.org/10.26792/rbed.v7n1.2020.75181

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES